ARTE INCENTIVA USO SEGURO DA ENERGIA

Muros de subestações das distribuidoras Coelba, Celpe e Cosern estão se transformando desde 2016 em espaços coloridos, cobertos por grafites que orientam a população sobre o uso seguro e eficiente da energia elétrica

Com ativa participação de diversas comunidades dos estados da Bahia, de Pernambuco e do Rio Grande do Norte, artistas, estudantes e moradores foram convidados a pintar painéis em muros de subestações de energia que antes eram alvos fáceis de pichação.

Essa releitura de espaços sem vida que se transformaram em grandes telas permitiu a valorização de expressões artísticas locais e hoje são veículos de comunicação de atitudes seguras no consumo da energia elétrica.

“O Grupo Neoenergia sempre se preocupou com a segurança da população e de seus parceiros”, lembra Renato Gomes, gerente de Segurança da Cosern. “Aqui a informação é transmitida de forma lúdica, com os painéis orientando a população sobre ações para não sofrer um acidente”, completa.

Os murais mostram o uso da energia no cotidiano e orientações importantes como não soltar pipas nas proximidades da rede elétrica, evitar a instalação de antenas perto da rede de distribuição, não fazer ligações clandestinas, entre outras. Mostram também dicas sobre economia de energia, a exemplo de não colocar roupas e panos para secar na parte de trás da geladeira, pois além de sobrecarregar o aparelho e aumentar o consumo, essa prática também pode causar choque elétrico.

There is no slider selected or the slider was deleted.


Intervenções urbanas

Na Celpe, o primeiro muro foi pintado pelo grafiteiro Galo de Souza, em fevereiro de 2016, na Subestação João de Barros, no bairro da Boa Vista, área central do Recife. O artista tem obras espalhadas por diversas cidades do Brasil e países como Suécia, Dinamarca, Áustria e Holanda. Outros grafiteiros que participaram do projeto em Pernambuco foram Gilbert e a dupla Johnny e Léo.

Em Natal, o grafite ocupou os muros da Subestação Centro da Cosern, na esquina das avenidas Prudente de Morais e Governador Juvenal Lamartine, no bairro do Tirol, uma das áreas de maior movimento da cidade. As intervenções foram coordenadas pelas artistas Viviani Fujiwara e Clarissa Torres, do Coletivo Aboio. Paulo Vitor Paz, um dos artistas participantes, diz que a iniciativa “é uma forma de transformar também a sociedade, de dialogar com as pessoas, com quem passa.

Não é como estar em um atelier, pintando. É estar diretamente na cidade, interagindo”.

Na Bahia, os grafites foram assinados por artistas como Fael Primeiro, Nuno Art Core e Daniel Hirs. Fael é considerado um dos maiores nomes da cultura sound system e um dos mais promissores artistas visuais de grafite do Brasil.

“A arte não só comunica como levanta um questionamento. E não existe um jeito melhor de atingir um público do que você realmente procurar uma estratégia que chame a atenção deles.”
Ingrid Freire, estudante de Arquitetura, de Natal

“É uma pintura muito chamativa e as pessoas prestam atenção, principalmente a gente que pega o ônibus todo dia aqui e agora está reparando o que é aqui.
Está tornando Natal muito mais alegre e deveria ter em outros lugares.”
Imaculada Lopes e Isadora Morais, estudantes, de Natal

 


De acordo com Galo de Souza, os jovens mostraram que, “apesar de usarem no dia a dia, em casa, a energia elétrica é algo que inspira cuidados. É tão comum que toda casa tem, toda TV precisa para funcionar, mas não se fala muito sobre a correta utilização, não é?”.


“Eu nunca tinha feito grafite, mas entendo a importância da cultura Hip Hop. A oficina foi uma oportunidade de aprender e obter mais conhecimento.”
Elivan Santos, aluno da oficina de Graffite e Hip Hop

“O Mutirão é um projeto de arte-educação que tem o objetivo de incentivar as pessoas a buscar alternativas dentro da crescente e valorizada economia criativa, oferecendo oficinas profissionalizantes voltadas pra arte e música que ampliem os horizontes de cada participante, sobretudo os mais jovens.”
Fael Primeiro, idealizador do Mutirão Mete Mão

Link Clique para saber mais sobre  o projeto

OFICINA ENVOLVEM OS JOVENS

Os artistas participaram de ações e oficinas realizadas em diferentes comunidades, com o objetivo de realizar mutirões de grafite e fomentar a conscientização por meio da arte. Em Garanhuns (PE), 30 estudantes da Escola Municipal Professor Antônio Gonçalves Dias (CAIC) foram capacitados por Galo de Souza na arte do grafite e pintaram os muros da subestação. Os muros da escola também foram grafitados em uma aula prática.

“Eu achei bem legal porque tá trazendo mais animação para a cidade, mais cores e informações de segurança, porque energia elétrica é uma coisa perigosa e as pessoas podem se machucar.”
Erinaldo Ferreira – 15 anos – 7o Ano do CAIC Garanhuns

 

“Está sendo um projeto que todo mundo está amando e querendo participar.”
Joselma da Silva – 15 Anos – 9o Ano do CAIC Garanhuns

 

De acordo com Galo de Souza, os jovens mostraram que, “apesar de usarem no dia a dia, em casa, a energia elétrica é algo que inspira cuidados. É tão comum que toda casa tem, toda TV precisa para funcionar, mas não se fala muito sobre a correta utilização, não é?”.

Estudantes durante aula prática em subestação da Celpe no município de Garanhuns

Na semana do curso, um espetáculo teatral foi apresentado na escola com a finalidade de orientar os alunos a usarem a energia de forma segura. Simultaneamente, o conteúdo absorvido pelos alunos seria expresso na arte do grafite. Em paralelo a essa iniciativa, a Celpe promoveu a distribuição de panfletos com alertas sobre o uso seguro da energia na comunidade situada no entorno da escola, alertando a população para a importância de se respeitar a distância da rede elétrica. Segundo Hilca Catão, gestora do CAIC Garanhuns, a escola apoiou a realização da oficina pelo fato de “a atividade despertar realmente um grande interesse nos alunos”.   

Além da oficina, estudantes assistiram peça teatral sobre segurança com o uso da energia elétrica

BAIRRO DAS CORES

Como parte do projeto Energia Amiga na Comunidade, da Coelba, grafiteiros profissionais utilizaram tecidos para levar à população ações de intervenção artística com a temática “energia, cidadania e segurança”. Como presente para o bairro de Periperi, em Salvador, os artistas também pintaram um muro escolhido pela comunidade. Além de alegrar o local, traz mensagens educativas sobre o uso seguro da energia. Muros também receberam grafites nas comunidades Uruguai, Itapuã, Brotas e Mata Escura.

 

EM GOIÁS, GRAFITE ABORDA O USO DE DROGAS

Uma oficina de grafite também foi o meio de abordar o tema das drogas entre 70 alunos do Colégio Estadual Ilídio de Souza, na cidade de Luziânia, em Goiás. A iniciativa fez parte do Programa Viver Bem do Consórcio Empreendedor Corumbá III (CEC III), no qual o Grupo Neoenergia tem participação, operador da UHE Corumbá.

Três grafiteiros, estudantes da Universidade de Brasília, foram convidados para conduzir a atividade realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Juventude. No primeiro dia, os participantes debateram as consequências do uso das drogas e aprenderam sobre as principais teorias e técnicas do grafite no mundo. No segundo dia, eles colocaram a mão na massa e grafitaram os muros da escola, dando um novo visual que virou uma atração da comunidade.