ILHA INTELIGENTE

Distribuidora de energia em Fernando de Noronha, a Celpe concluiu em 2016 um pacote tecnológico que tornou o arquipélago uma referência em sustentabilidade no consumo de energia

As principais inovações nas áreas de medição, telecomunicações, tecnologia da informação e automação tornaram a Ilha de Fernando de Noronha o primeiro lugar do Nordeste com instalação de redes elétricas inteligentes (REI), conhecidas no mercado como smart grids. Os investimentos somaram cerca de R$ 18 milhões durante os cincos anos de estudos e implantação, realizados com recursos do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Ilha inteligente

Os imóveis e a rede elétrica da ilha receberam modernos equipamentos para a coleta de dados que possibilitam reduzir perdas de energia, melhorar a qualidade do fornecimento, ampliar a segurança, obter maior eficiência energética, estabelecer tarifas diferenciadas e causar menor impacto ambiental.

A tecnologia viabiliza o gerenciamento do sistema pela distribuidora e pelo próprio consumidor, além de tornar possível a integração com outras fontes renováveis de energia. Além da Celpe, o desenvolvimento do projeto conta com profissionais da Universidade de Pernambuco (UPE), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) e das secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação, de Meio Ambiente e Sustentabilidade e de Desenvolvimento Econômico do Governo do Estado de Pernambuco. A operação do centro e o acompanhamento das visitas são de responsabilidade da ONG WWF-Brasil, parceira do projeto.

Ilha inteligente

VISITE NA ILHA

Centro Aulas de Energia Usina Solar Noronha II
Endereço:
Usina Tubarão – Ilha de Fernando de Noronha – PE
Dias de visitação:
Semanalmente, de terça-feira a domingo.
Horário:
Das 14h às 19h.

TECNOLOGIA E SUSTENTABILIDADE

Comprometida em aliar tecnologia e sustentabilidade, a Celpe instalou em Fernando de Noronha duas usinas solares fotovoltaicas, que receberam investimentos de R$ 11,4 milhões como parte do Programa de Eficiência Energética. Em parceria com o Comando da Aeronáutica, Noronha I foi inaugurada em julho de 2014. Noronha II entrou em operação um ano depois.

Com potência instalada de 1 MWp (megawatt-pico), o que resulta na geração estimada de 100 MWh/mês, as duas unidades respondem por 10% do consumo de energia de Noronha.

Para interagir com o infográfico, passeie e/ou toque com o mouse sobre os destaques.

Para estimular a geração de energia a partir de fontes renováveis e contribuir para a diversificação da matriz energética do arquipélago, a Celpe instalou placas solares em nove unidades residenciais, comerciais, órgãos do poder público e organizações não governamentais, sendo um dos sistemas dotado de baterias para o armazenamento de energia. A ideia é demonstrar os benefícios da microgeração distribuída, traduzidos em redução do valor da conta de energia e menor impacto ambiental.

As placas solares têm capacidade total de geração aproximada de 27 kWp e podem viabilizar a economia de 3.400 kWh por mês, com redução de 80% a 90% no valor das contas de energia. Com isso, cerca de 12.000 litros de óleo diesel deixarão de ser queimados, por ano, no arquipélago. A Celpe investiu pouco mais de R$ 500 mil na iniciativa.

Os consumidores residenciais, do poder público e de ONG’s foram selecionados por meio de sorteio e tiveram os equipamentos instalados gratuitamente. Já no segmento comercial participaram clientes interessados em investir financeiramente no projeto.

 

Ilha inteligenteConsumo gerenciado

Pela internet, moradores e comerciantes do arquipélago podem monitorar, planejar e controlar seu consumo diário de energia elétrica. A ferramenta implantada pela Celpe está disponível para 816 imóveis nos quais foram instalados medidores bidirecionais (capazes de medir a entrada e a saída de energia).

O gerenciamento se dá pelo Portal do Consumidor, onde o cliente pode estabelecer uma meta de consumo mensal, verificar sua evolução diária e receber mensagens de alerta, caso esteja próximo de ultrapassar a meta estabelecida.

 

Carros elétricos

O projeto REI inclui uma alternativa para reduzir o uso de combustíveis fósseis no trânsito de veículos e incorporou um carro elétrico à frota da distribuidora no arquipélago. Ele é utilizado como laboratório tecnológico e tem ainda o objetivo de estimular os habitantes e visitantes da ilha a usar essa alternativa de locomoção.

Para viabilizar o abastecimento do automóvel, foi construído um posto fotovoltaico, onde a energia gerada pelos painéis solares é acumulada em baterias.